Não sabe o que dizer? escuta

Abrindo o ouvido e fechando a boca

Lá na época da sua avó, ou do seu tio, àquele velhinho, era bem comum que fosse ensinado que temos 2 ouvidos e 1 boca para ouvir mais e falar menos. Faz algum sentido para você ou nunca lhe mostraram este conceito? “Whatever” ….dá para acompanhar sem jogar no google.

Combinados fazem parte do pré-jogo

Nos ambientes corporativos e até mesmo para os profissionais que operam em vôo solo, os freela, os MEis, os profissionais liberais, enfim, todos nós podemos refletir alguns pontos importantes antes de sair falando por aí no ambiente virtual.

pelamordedeos….. lá vem regramento…

Se trocar regramento por combinado, fica melhor? Pois que assim seja!

O que se está pretendendo, por aqui, é diminuir um pouco o tanto de piloto-automático que comanda as nossas ações a cada momento.

É fazer uma breve reflexão para que nossa atuação nas redes sociais nos reverta em resultados aderentes à nossa atuação no ambiente real.

Que a forma com que nos comportamos possa  estreitar os laços entre estes dois mundos, esses dois contextos sem que venhamos a nos valer de apagadores potentes ou até mesmo legais para que nos salvemos da posteridade que pode vir a ser bem cruel.

Vamos?

Se estamos iniciando numa empresa conhecer os combinados é de grande utilidade se é que não o fizemos durante o processo seletivo. D.e.v.e.r.í.a.m.o.s

Os códigos de ética, os papers ou livretinhos (ebooks) que norteiam o que pode e o que não pode dizer naquela coletividade e serão de leitura primordial.

#Ficaadica : não se afaste disto.

Pode trazer refeição? Onde fazer? Onde armazenar? Tem dia da semana em que pode trazer o cachorro? E fazer tricot durante o almoço, pode?

Algumas empresas menores também têm ligado o alerta de que é interessante construir uma lista de combinados, entre todos, para o melhor convívio.

Temos ainda o que pode se publicar, o que vamos dizer nas redes sociais. 

Aqui vamos pisar no freio para examinar um pouco mais detidamente.

Conta tudo ou guarda o segredo a 7 chaves?

Aquele lançamento, o novo produto, um sistema de gerenciamento adquirido recentemente que vai começar a ser implantado…

Os participantes do time da empresa podem publicar em suas redes? E selfies da gerente com toda a galera na comemoração pela meta superada?

Pode ou não pode, sabe dizer?

dizer

Caso não saiba, vale perguntar… ou até mesmo sugerir um encontro para debater algum norteamento destas publicações, que tal?

Para alguns ambientes é importante divulgar a cada momento o avanço, o estágio, a etapa do desenvolvimento.

Para outros, a estratégia é só aparecer com tudo pronto e arrumado.

Quem define o que pode e o que não pode?

Boa questão, hein?

Se você não sabe também vale se inteirar o mais breve possível

Se você é Euquipe, antes de sair postando lives, selfies e tweets a todo momento, esboce em algum canto o quê e como você vai vai se posicionar.

De tempos em tempos releia o que você escreveu para conferir se está tudo de acordo.

Se não há sintonia, há ruído

As postagens são de grande utilidade para diversos fins e num outro instante podemos até refletir sobre. 

Neste texto focamos no início do caminho ou seja na criação e adequação do conteúdo que se vai publicar.

Dormiu não né? ufa

Tom, meio, forma, tudo contribui ou prejudica

  • Um ambiente mais formal de negócios pede um tom menos “largado” mesmo nas redes. Pode ter uma pitada de humor, mas sem escracho, né?
  • Alguns negócios podem ser explorados mais intensamente em determinada rede o que não exime da replicação nas demais.
  • Conteúdos mais densos ou mais ligeiros podem ser alternados, conforme o dia da semana, o evento, ou a rede em que será publicado.

Tenho que saber de tudo?

A resposta é sim e a resposta é não.

#boa

Das linhas gerais das publicações, todos na empresa devem conhecer.

Dos detalhes mais técnicos ,talvez, nem todos, se a empresa tiver alguém com este encargo.

figura de quadro verde com palavras de marketing digitial em letras 

Pode ser que você que é “by-yourself” precise aprender mais ou se associar/ contratar alguém com esta expertise.

O que pode não agregar nada ao negócio é àquela live ou podcast publicados com muitos ruídos, risadas, treme-treme da imagem e, de repente, alguém aparecer gritando e xingando.

Ou um texto compriiiiiiiiiido, sem legibilidade,  que não se consegue completar o segundo parágrafo de leitura, sem que o pensamento voe para o furo do cinto, que “andou” para longe da fivela, hoje de manhã…

Combinado antes fica fácil depois

Combinados os termos e demais aspectos das postagens tudo fica mais fácil e mais autêntico.

Dá para exibir muito conteúdo e tudo alinhado com o negócio.

Assim, os resultados pretendidos vão aparecer.

Discorda?

Conta aí então!

Voar é o que nos move

voar

Ícaro já nos revelava
a indisfarçável vocação
latente para o vôo.
Os olhares arrebatados
para o 14 Bis comprovaram

Sim, algo no projeto dos
sapiens ficou faltando:
um belo par de asas
ou até mesmo uma só
bem potente

Consertar esta falha de
projeto não é trivial
e todo o conjunto dos
seres dirigiu seus esforços
e saberes para o contorno

Por fim, houve decisão
silencionsa, de tão óbvia.
Projeto seria incrementado
por dispositivos acessórios
para enfim, funcionar

Tais parafernálias
foram crescendo, assim como
a intenção, o sonho, o desejo
a pulsão de se lançar céu
a fora sobre mares e prédios

Derretendo obstáculos,
revirando convicções,
vai se encontrando um
jeito melhor e mais
confortável

Custos e outros

quesitos fazem parte

dos rabiscos, protótipos,

árvores de decisão

para viabilizar maquininhas

Tantos sistemas incríveis

digestõrio, reprodutor, circulatório

e ficou faltando logo o sistema

que dotasse estes bípedes de

um pouco mais

Missão dada, missão cumprida

ou comprida, não importa.

De um jeito ou de outro,

esmagando o insucesso com

a repetição ainda iremos voar

Sairemos da varanda

e já iremos identificar

possível pássaros metálicos

mais ou menos feiosos

que nos levem daqui

Em alguns minutos

estaremos em outro

ponto de pouso

descendo suavemente,

acertando a cabeleira.

 

Carros voadores

Dever é não poder… faz como mesmo?

dever

Dever é não poder

quitar, pagar, fechar

e se livrar do incômodo

do estresse, do aperto,

como faz?

Muitos, muitos, muitos

devem a outros tantos

que também, claro,

sofrem com o aperto

o estresse e o medo.

Medo de não receber,

medo de não pagar,

medo do vizinho saber,

medo do chefe cobrar,

medo de resolver.

Abrir mão, escolher,

encolher, cortar,

adiar, não fazer,

não comprar  e?

não ter!

Carga pesada de

carregar oculta,

arquear sem bufar,

sofrer sem contar,

sorrir sem poder.

Sonhar, fugir,

esquecer, fingir

largar de mão,

não pensar e

d.e.s.i.s.t.i.r

 

Um terço de nós é devedor… que tal

 

 

Controvérsia, uma maneira de se sobressair?

Controvérsia, disse-me-disse

balbúrdia e confusão

muitos usam para botar o pescoço

acima da linha dos demais e

aparecer que é o que importa

Opinião mais firme, sem chance

para um contraditório, ou a desqualificação

do argumento contrário, com foco em

quem fala e não no quê fala

e assim se destacar

Criar um desconforto na conversa

uma situação vexatória para o discordar

também é ferramenta útil para que

os holofotes girem para a sua direção

e que todos cochichem, (coisa boa)

Mesmo empresas, em seus

planejamentos ou pela falta deles

nunca se sabe, assumem posturas

com a intenção de “dar-o-que-falar”

e, deste modo, se posicionam diferente

Escândalos são descobertos ou

plantados? Envolvimentos nem sempre

ortodoxos são mais uma manobra ou

de fato acontecem? Fica cada vez

mais borrada a fronteira entre um e outro

A desculpa, o sem-querer, o sem intenção

continua valendo como escudo para

palavras rudes, insinuações maliciosas,

julgamentos preconceituosos e toda

uma série de agressões veladas

As batalhas sem sangue, sem lama,

sem trincheiras, sem farrapos, cedeu

definitivamente seu local para matanças

hight-tech, desempenhadas por drones

assépticos, sem adrenalina ou fedor de morte

E mesmo àqueles que num primeiro

olhar podem ser reconhecidos como

de bom comportamento podem, apenas

ser o espelho do que se gosta, do que

se entende por correto, da bolha nossa

Deste modo permanecem desiguais

as antigas desigualdades, permanecem

sem acesso os que nunca os tiveram,

permanecem longe do processo

civilizatório, seja lá o que isso signifique.

A intenção e o efeito, amantes

eternos, bailam diante de todos os

narizes, ficando a cada passo mais

complexo, mais refinado o minueto

que enfeitiça e adormece o pensamento

 

Qual é a jogada?

 

 

 

 

 

 

Vai cobrar uma dívida?? pisa no freio e dá uma lida antes…você sempre pode precisar

Cobrar uma dívida ; não perca de vista, o outro ponto de vista…

Tudo começa

quando você analisa a sua base de clientes e identifica alguns inadimplentes

Acredito que você analise sua base de clientes com frequência pois senão o faz, desculpe, mas já estou com um dó imenso de você quando resolver fazer.

Back…. então, é neste momento que você observa, pelos números: a previsão de entradas está com desvio, o que se costuma chamar de “boca de jacaré”

 

 

 

 

 

 

 

Depois de se recuperar do pavor de encarar o “bicho”, muito há para fazer…

Vamos percorrer um caminho curto, um cadinho mais seguro do que o dos pântanos onde se alegram aqueles répteis… com todo o respeito às criaturas.

Veja só:

  • 1.   É um comportamento esporádico ou é possível identificar uma tendência

Vale observar meses anteriores, ou intervalos de tempo anteriores ao do desvio .

São desvios que já começaram faz tempo e foram só crescendo?

Ou se trata do início da descida ladeira abaixo?

Identificando a diferença entre os comportamentos, fica mais fácil rascunhar ideias para reverter o quadro.

  • 2.   O montante é significativo ou singelo

Qual é o tamanho do “buraco” no seu caixa, sabe dizer?

Se não sabe, ô dó, vale se apressar para saber.

ô dó

 

 

 

 

 

 

 

 

Lá no seu planejamento, sempre ele, você considerou que tamanho de rombo?

Esqueceu de considerar? Gzuz tenha dó desta ingenuidade…

A quantidade de recursos e esforços para combater o desvio está diretamente relacionada à profundidade da “cratera” que a inadimplência formatou.

  • 3.   Quantos e quais

Da sua base de clientes, quantos estão integrando o grupo dos que “não-pagam-em-dia”?

Que percentual é este?

Um percentual expressivo sinaliza que há muita mudança pela frente, ou vamos deixar como está para ver quanto pior fica?

Eu hein?!

  • 4.   Aconteceu evento imprevisto ou extraordinário

É possível correlacionar à inadimplência ao calendário?

Chuvas medonhas, frio ou calor fora do habitual, greves, aparições, etc…

Ocorreram eventos extraordinários, daqueles que sacodem palmeiras, nestes mesmos tempos em que seu caixa naufragou?

Ou você já pegou um foguete e largou tudo prá lá, na Terra azul?

extraordinário

 

 

 

 

 

 

  • 5.   Contato frequente ou quase nunca

Seu contato com os clientes os ajuda a “lembrar” das datas de pagamento?

E seu contrato ? Estabelece a singela comunicação entre serviço prestado e retorno financeiro ao prestador?

Pense então no meio de pagamento oferecido.  É confortável, os facilita ou é tudo emperrado, com hora certa e deslocamentos custosos?

Todos recebem o gentil boletinho?

Lembrou aos queridos de implementar o DDA – débito direto autorizado destes boletos nos seus bancos?

 

Percorrendo este roteiro, diversos elementos podem ser coletados para compor o seu plano de ação.

 

importante

 

 

 

 

 

 

 

 

Lembrando ponto da maior importãncia:

Sua base de clientes é patrimônio tombado pelo ministério do seu negócio, que tem atribuição definida no estatuto da sobrevivência da sua empresa.

É objetivo, meta e compromisso zelar pelo bom andamento da escola na avenida sem atravessar a harmonia.

Depois não adianta reclamar com os jurados

var

 

 

 

 

 

Nem solicitar a intervenção do árbitro de vídeo.