Mistério, você ainda tem lugar por aqui?

Em que pese tanto avanço

tech, IA, algoritmos e previsões

ainda há um lugarzinho, um espaço

um canto que seja  para o mistério

nesta vida?

Diferente do novo e do velho

a conversa aqui é do não conhecido,

do nada sabido, daquilo que se

desconhece e que se percebe

pouco razoável prever vir a saber

 

O exame é da possibilidade de

de contemplar, se é que ainda

sabe o que é isto… Todos os

espaços de dentro e de fora

estão tomados pela analise?

Difícil de aceitar a oferta

de que o racional não dá conta,

ou o que ele conta nem sempre é

o que realmente conta: que é

o que tem maior valor.

A percepção é condutora

ou nem mesmo ela promove

o contato mais fugaz com o

mistério? Onde mora, onde

fica, onde começa ? e termina?

Do doloroso que recebe

explicações que em nada

confortam e por isto,

não trazem sentido. Na mesma via

o sensacional que talvez…b.r.o.t.e!

Das infinitas matizes e cheiros

que desfilam bem diante dos sentidos

que se ainda sentem, e se assim é,

não explicam mas revelam.

Não é o caso de muito falar.

Desde sempre, sapiens repletos

de elétrons que vagueiam longe do núcleo,

cheios de espaço vazio que juntinhos

aparentam maciço o que de fato

não é.

Se ainda mora em algum canto

o mistério em sua vida que papel pode ter?

É doce e manso o convívio ou já expediu o

despejo e, data venia, no contraditório

encontrou  pra tudo tem uma razão?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.