No meio do falso, tudo se acaba

No meio do falso,

no meio do nada,

totalmente só;

o que buscava?

qual a razão de ficar?

Resultado de imagem para razão de ficar

Os sabe-tudo, os

que conhecem das leis

de comportamento,

das teses, dos órgãos,

também destes, o queixo caiu.

queixo caído

Opção premeditada

adotada por quem não

teria esta condição

ou simplesmente uma

incapacidade de seguir?

incapaz de seguir

Mesmo aos que têm

a condição, os “racionais”

mesmo estes não desistem,

cansam, jogam a toalha e

se deixam por aí?

Ou a permanência se

deveu à fraude, ao falso,

à ingrata alegoria criada

para iludir uma presença

que nunca existiu?

Resultado de imagem para pássaros não pensam

E quanto também aos

sapiens, a ilusão, o engano

promove a desistência ou

o avanço, tudo com base

no que nunca existiu?

 

Cercado de concreto,

quando deveria estar

cercado de seres que

voam, que acasalam

que constituem um “todo”;

Sofreu ou desfrutou?

amargurou o abandono

ou nada deste universo

lhe pertence a visita?

Pena, bico e nada mais?

No meio do falso,

tudo se acaba na

paixão pelo “concreto”

que talvez tenha sido

sua razão de permanecer.

E lembrando dos gregos

que certamente nunca

leu, Nigel fecha o ato

de um drama tão triste

e que talvez nunca existiu

nigel cercado do nada

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.