Esperar um pouquinho… O quanto o impulso do consumo faz a riqueza ir embora

Impulsos de consumo costumam ser sedutores

Esperar um pouquinho para consumir pode fazer a diferença e afastar ou aproximar uma condição financeira mais favorável.

É disto que vamos tratar aqui.

Continua lendo que você vai gostar… espero

Tem muito mais envolvido no ato de consumir do que o que passa entre seus olhos/ouvidos, até você abrir a carteira, sem perceber..

Entendeu? Pareceu confuso? Errado? Despropositado?

Ih… então você precisa mesmo continuar a ler isso aqui.

O que será que acontece?

Consumir significa reduzir seus recursos, já pensou nisso?

Fazendo um rápido sobrevoo em toda a cadeia : para consumir é preciso que algo, um bem, tenha sido produzido, confere?

Ao realizar um produto ou serviço, seja lá o que for, também se está reduzindo a quantidade de tudo o que estava disponível.

Sejam insumos, seja energia, recursos financeiros, tempo.

O que está empregado para efetivar algum propósito significa que não será empregado em outro.

É um deslocamento, reduzindo de um lado e empregando do outro.

E a aquisição?

Pode ser descrita como uma especie de um processo que “legitima” o deslocamento que descrevemos.

Lançando mão do conceito contábil… se há uma entrada, há uma saída que lhe corresponda, combinado?

Logo, se muitos adquirem aquela blusa incrível, por um dado preço, significa que todo o processo empregado na realização daquele produto é percebido pela sociedade como coerente.

Se envolveu uma redução significativa de um dado recurso que já estava com estoques reduzidos ou se o preço praticado é predatório, a larga aquisição o “legitima”.

Parece blá-blá-blá mas… não é!

https://goo.gl/images/1BZd8t
https://goo.gl/images/1BZd8t

Se você adquire combustível, por exemplo, por um preço muito inferior ao preço praticado pelos concorrentes, significa que você “concorda” com o processo, que pode envolver adulteração de massa, de instrumentos de medição ou até mesmo um despreparo na gestão, precificando fora de margem.

Ou pode ser uma promoção momentânea que vale a pena…

Será?

Tem mais ainda:

  • Refletindo sobre o consumo
  • Quais são as relações?
    • É caso de urgência?
    • De necessidade?
    • É um desejo?
    • É para aproveitar um oportunidade?

Perguntas para perturbar sua cabeça… mas segue assim mesmo, pode ser?

Para resumir até aqui :

Fizemos um passeio rápido desde a produção, possíveis problemas envolvidos, até a efetiva aquisição.

Ufa, coragem que vem mais em seguida.

Vamos enfrentar em pedacinhos, sem pretensão de consolidar a melhor dentre muitas respostas, dois dos aspectos envolvidos na aquisição.

1) Necessidade ou desejo

A necessidade se impõe, não é?

É necessário se alimentar, estudar, ter lazer, vestir, morar, remédios…

O desejo é mais requintado, mais específico, mais sedutor

O desejo é o motor mais potente para o descontrole. Está intimamente ligado à emoção da gente, se deu conta?

É a mola que abre a carteira com gostinho de merecimento, de recompensa, de regozijo.

Recorde, por instantes, o momento em que você pagou por um chocolate gourmet, carésimo, pensando : “hoje, eu mereço”

Lembrou?


https://goo.gl/images/mDAVH1

Desejo e racionalidade não fazem um par perfeito e isso é de longa data.

E há que ligar um alerta contra furacão para ter esta consciência .

2) O momento: agora ou depois?

Existem situações em que a aquisição é urgente.

Um remédio para combater a febre,

um chinelo porque o seu acabou de rebentar…

Situações que se estressadas até poderiam conduzir a aquisições de melhor relação custo-benefício mas… vá lá… servem para exemplificar.

Na outra mão, sua passagem aérea das férias poderá ser adquirida com boa antecedência para gozar dos melhores preços.

O gadget mais incrível, lançado agorinha, realmente precisa ser adquirido quando o preço que não cabe no seu bolso?

Esperar significa abrir espaço para uma analise

Resultado de imagem para esperar

https://goo.gl/images/i4suUL

Lembrando que este espaço de tempo é o elemento fundamental para a identificação entre as necessidades e os desejos; do quanto de emoção tem envolvido e do quanto de “recompensa” estamos dispostos a nos favorecer.

Oportunidade incrível? Será mesmo?

Comprar com base em oportunidade que lhe foi apresentada é terreno pantanoso.

Muito comum recebermos uma serie de mensagens, por todas as vias disponíveis, de diversas propostas para aquisição.

Promoções, descontos relâmpagos, chances que irão encerrar daqui 5 minutos e muito mais.

Uma perguntinha que muitas vezes fica escondida pelo deslumbramento que tudo isso nos proporciona:

Oportunidade para quem?

Lembremos que primordialmente a oportunidade é para quem vende

É a oportunidade da loja fechar a venda e obter todo o retorno esperado.

Pode ser que venha ao encontro da seu momento de aquisição também.

Pode ser… mas … pode não ser ….e muitas, muitas vezes, não é.

Resultado de imagem para a quem interessa

https://goo.gl/images/aTbPYp

Quanto de renúncia envolvido hein?

Pois é… esperar um pouquinho para consumir pode ser, em resumo, uma renúncia.

Renúncia ao estímulo de ter uma “alegria” imediata;

Renúncia à recompensa associadas ao gastar,

Renúncia em ter o reconhecimento dos demais de que se está em determinado grupo social ou financeiro.

Renúncia….

E de renúncias não gostamos, isto é fato!

Conseguindo o feito de renunciar você mantém, por um pouco mais, seus recursos.

Neste meio tempo pode, por exemplo, concluir que legitimar um processo que nem sempre foi inteiramente razoável é o que se deve fazer.

Pode decidir, ainda que pode esperar para acumular todo o recurso e obter condição muito mais vantajosa. Pagamentos à vista trazem descontos, via de regra.

E por aí vai…

Resultado de imagem para renúncia ao consumo

https://goo.gl/images/ZMCZrq

Que fique ao menos uma reflexão para se insinuar por aí, embaixo do cabelo ou da careca.

Gasto agora ou trago a minha riqueza para mais perto?

Imagem relacionada

https://goo.gl/images/XVxxQP

Que tal?

Vamos continuar a refletir sobre o tema em outro artigo?

Espero você por lá!


Fique tranquilo, ao final não vai dar certo mesmo

tranquilo

Fique tranquilo

ao final não vai

dar certo mesmo

afinal o que foi

feito para isso?

Desorientação

sem saber para

onde vai ou vem

sem saber o que

fazer nem quando

Pensar a longo

prazo, como faz?

perturbação

estado de tensão

sem sertão ou vereda

Milhares de coisas

encantados com o

poder de fazer muito

que nem serve para

muito, possuído pelo ter

Prometeu libertado?

idolatrando o que

vai acontecer sem

interferência, crentes

num caos generoso

Nada precisa ser feito:

de um jeito ou de outro

vai dar certo e indolente

e errante, nunca se começa

o que deveria.. lei particular

Então é certo ou quase

ou há muita chance

de não dar certo

de não atingir

de não chegar.. Há muita

O não fazer conduz ao

não acontecer na melhor

forma, no melhor modo,

ao desdém do pensar

profundo no lance do Gerson

Um juízo final que redime

os que esperam parados

indo ao encontro da pouca

dos que não têm obras,

ausentes, sempre sem razão.

Fica tranquilo, alguém

tem que fazer algo

o outro, a outra, o de fora

tragédia trivial onde

não se mete a mão

Fica tranquilo

não vai dar certo mesmo

ao final  o que foi

feito para isso?

Nada, não é?

 

 

 

Dá para dizer a verdade? Quando os times silenciam

dizer a verdade

Dizer a verdade, a grande encrenca nos times

Muitas vezes, ao receber uma orientação de tarefa, ou mesmo um novo projeto, surge uma visão no meio do time que vai na direção contrária ao que foi proposto.

Alguém enxerga um risco, uma questão que não foi posta na mesa, ou mesmo uma forma mais simples de chegar ao resultado. Só que… todo mundo silencia.

silencia

Os medos são muitos e favorecem o silêncio

Tempos mais do que bicudos, discordar da liderança, da chefia, ou mesmo do sócio pode trazer grande sofrimento.

O discordante pode ser encarado como um obstáculo, como alguém que está jogando contra, como um arauto da desgraça, corpo mole e, por aí vai.

Pode ter sua avaliação de desempenho comprometida e, até, demissão.

corpo mole

O silêncio se instala mesmo entre pares

Contar para o colega a ideia que é contrária àquela que foi proposta também pode trazer encrenca. Tudo pode vir a tomar proporções, sair do papo de dois e ir parar lá no ouvido de quem não se deseja incomodar.

Todos acabam por ouvir as instruções, anotar algo, se for o caso, balançar as cabeças e vida que segue

balançar a cabeça

Conhece ou experienciou situação parecida?

O novo sucede o velho mas as barreiras estão borradas

Mesmo em estruturas mais enxutas, com propósito mais conectado com as novas práticas podem ser encontrados problemas de comunicação.

A urgência instalada acima de tudo faz com que o entendimento do que realmente precisa ser executado seja transmitido por meio de drops, diálogos breves, entremeados por diversas interrupções para contatos com diversas telas.

Se o time não entende, como faz para agir?

Temos atuações em que cada integrante faz uma parte, muitas vezes sem entender o todo e o retrabalho já está no radar.

Maior o custo, o tempo dispendido e a desmotivação… repetir tarefa é para qualquer profissional um rebaixador de satisfação.

Tem saída ou o cenário é feio assim mesmo?

Se a liderança não se dá conta, o processo de melhoria vai se arrastar por tempo indefinido.

Como numa orquestra se o maestro não percebe que há dissonância o trompete pode continuar errando, baixinho, que fica tudo bem.

Pode ser que alguém da clarineta avise que há algo errado; pode sim.

Mas também pode toda a orquestra fazer uma apresentação estridente hoje, na quinta e no domingo. Tudo igual…

Ou pode ser um espetáculo inesquecível

 

 

Ataque de nervos, sofrimento previsto?

ataque de nervos

Arrumando novamente

malas, pastas, roupas,

escova, gravata, meia

carregadores, adaptadores

traquitandas mil

Nem consultava mais

a lista, sabia de cor tudo

o que deveria levar e

dobrar, enrolar, por dentro

do que e como.

Mais 10 dias longe

de casa, do cachorro

que está doentinho, do

roupão velho, da água

que bebe no gargalo

Neste mês já foram

duas e no mês passado

3 e 2 no próximo. Assim

tem sido, faz tempo.

Ué, trocaram a torradeira?

Nem sabe o que

rola por aqui, em que

perrengue estão metidos

os meninos. Do par então…

melhor nem lembrar.

Sente que tudo

acumula em algum lugar

do tronco, que tem um

tubo, que insiste em

arder, ao longo do dia.

O colega vai passar

de compartilhado para

rachar a ida pro aeroporto

dentro de 10 minutos. De novo,

não dá tempo pra conversa.

O snooze do despertador

comeu 10 minutos que agora

fazem falta para ao menos

falar abobrinha em casa

e saber qualquer coisa

Fecha a mala de carrinho

ajeita a roupa frente ao

espelho que devolve rugas

para todo lado e olheiras tb

Deu vontade de ter um ataque

Passou a vontade, respirou

fundo e seguiu;um perfume,

um alinhamento de cabelo,

uma postura para enfrentar

mais uma batalha… vai seguir.

Chega na porta de saída,

mas o cachorro nem levanta,

nem acena com o rabo,

está mesmo doente…e

deve ser sério, deve ser…

Grita tchau para todo

mundo, com voz de vapor

d’água, sem cor, sem cheiro

sem gosto, só tchau e segue

arrastando a mala pelo corredor

 

Sempre feliz!

Temos cá a ideia, ou tal

se propagou, que tudo o

que se quer é ser feliz

todo o tempo e neste

instante… a.g.o.r.a!

Criada uma precisão

de a todo momento

dar certo, ter vitórias,

acertos, assertividade,

produzir em larga medida.

E quando não se

atinge, não se alcança,

por um motivo ou por

outro, lidar com esta

questão?ficou difícil

Produzir mais, ocupar

mais, se enrolar mais,

encher a agenda, o tablet,

o smartphone, o app,

encher tudo para não ver

Tudo o que falta para

que um substantivo

idealizado a cada tela,

a cada estímulo, possa

favorecer a felicidade

Ter o dever, a virtude

e a posição no universo de

ser saciado, atendido,

prestigiado e reconhecido

e se assim não é, desço pro play?

Um emprego que não foi

o sonhado, uma vocação que

nunca soube qual, viagens

não feitas e o cabelão que

insiste em seus bad-days? vixe!

 

Tantos requisitos para

o projeto, tantas vertentes,

tanto o que atender que

fica para o próximo mês,

ou encarnação, ou para qdo?

Procurar obter mais recursos

mais competências, saberes,

conchavos, cochichos, mais

regime, menos calvície, mais

salto e menos pé-no-chão…

Talvez nem passe no

radar a chance comezinha

de mesmo com tudo a meia boca,

com tudo meio desarranjado,

ainda poder ter o luxo de dar risada...