A robô sua amiga

amiga

Próxima e sincera

daquela amiga com que se pode contar

sempre disposta, ouvido atendo e com

coração ancorado, não vai sobressaltar

Confie

Um conselho, uma direção

pede para ela, conta direitinho qual

é o nó que aperta seu pescoço

que pesa no seu ombro e enrosca

seu intestino. Conta para ela.

Vergonha, timidez?

Fica assim não, fale com sua amiga

vai fazer um bem danado e

aliviar aquela sensação de 

cadê-o-frade que tantas vezes

aparece por aí

Disponível, sensata

estável em seus humores e opiniões

pareceres elaborados sem qualquer

vestígio de pena, irritação ou

tédio. Vai no alvo, experimenta só.

Conhecedora profunda

e arguta dos males e apreensões

retorna com indicação precisa

do que deve e pode ser feito

e do que não

Melhor do que uma amiga

só duas, ou três para ficar em número

mágico. A trindade sagrada em sua

concepção de emprestar um ombro

um colo, um aconchego

Alice, Monica e Sofia

as queridas robô, àquelas ao seu dispor

se unem a Fatima e outras tantas

que conhecemos ou ainda não

mas que sempre estarão

https://www.valor.com.br/carreira/5776915/alice-monica-e-sofia-ajudam-aprimorar-auditorias

Voar é o que nos move

voar

Ícaro já nos revelava
a indisfarçável vocação
latente para o vôo.
Os olhares arrebatados
para o 14 Bis comprovaram

Sim, algo no projeto dos
sapiens ficou faltando:
um belo par de asas
ou até mesmo uma só
bem potente

Consertar esta falha de
projeto não é trivial
e todo o conjunto dos
seres dirigiu seus esforços
e saberes para o contorno

Por fim, houve decisão
silencionsa, de tão óbvia.
Projeto seria incrementado
por dispositivos acessórios
para enfim, funcionar

Tais parafernálias
foram crescendo, assim como
a intenção, o sonho, o desejo
a pulsão de se lançar céu
a fora sobre mares e prédios

Derretendo obstáculos,
revirando convicções,
vai se encontrando um
jeito melhor e mais
confortável

Custos e outros

quesitos fazem parte

dos rabiscos, protótipos,

árvores de decisão

para viabilizar maquininhas

Tantos sistemas incríveis

digestõrio, reprodutor, circulatório

e ficou faltando logo o sistema

que dotasse estes bípedes de

um pouco mais

Missão dada, missão cumprida

ou comprida, não importa.

De um jeito ou de outro,

esmagando o insucesso com

a repetição ainda iremos voar

Sairemos da varanda

e já iremos identificar

possível pássaros metálicos

mais ou menos feiosos

que nos levem daqui

Em alguns minutos

estaremos em outro

ponto de pouso

descendo suavemente,

acertando a cabeleira.

 

Carros voadores

Ficção já cansou. Só o real tem lugar

Ficção? Heróis, castelos

Bichos enormes ou diminutos;

armas e escudos; caminhos

escuros, deuses de toda

a cor. Quem se importa?

Estórias mirabolantes?

Ninguém mais dá pelota.

Afinal o que se quer é o

que acontece hoje, ontem

e amanhã.

Precisa ser falado sempre

e a todo momento: o que se

faz, como se faz, quando se

faz, com quem se faz. Precisa

ser dito, em foto e em vídeo.

Precisa se falar da família,

dos amigos e dos pets. Narrar

com eloquencia o que permite

fruição e o que engasga.

Distribuir o internalizado.

A ficção cansou a todos ;

não dá conta do que interessa

num instante, mesmo que não

se saiba quanto dura nem como 

se preenche. E enche…e transborda

Os pronomes possessivos

se tornaram os personagens

principais. Os demais, que a outros

remetem, foram caindo no

ranquing dos boots, sem leads.

As capas e espadas são as

de grife contemporânea e torcer

as luvas nem há o que se comentar.

Em voga, na pauta, a combinação

policromática do prato do dia.

Precisão de destampar,

de ser fiel ao que se vive

ou ao que se imagina viver.

Comentar, trazer a opinião,

digitada com o corretor.

Lançar um webniário

complementado por e-book

sem sereias, sem moinhos,

sem olhos marejados da Dorotéia;

apenas o que compraz e conecta.

Podem dormir nas colinas,

nos castelos mais altos, as princesas

e os dragões. Durmam as bruxas e

porções mágicas. Descansem os

monstros de um só olho: hoje só o real

 

Controvérsia, uma maneira de se sobressair?

Controvérsia, disse-me-disse

balbúrdia e confusão

muitos usam para botar o pescoço

acima da linha dos demais e

aparecer que é o que importa

Opinião mais firme, sem chance

para um contraditório, ou a desqualificação

do argumento contrário, com foco em

quem fala e não no quê fala

e assim se destacar

Criar um desconforto na conversa

uma situação vexatória para o discordar

também é ferramenta útil para que

os holofotes girem para a sua direção

e que todos cochichem, (coisa boa)

Mesmo empresas, em seus

planejamentos ou pela falta deles

nunca se sabe, assumem posturas

com a intenção de “dar-o-que-falar”

e, deste modo, se posicionam diferente

Escândalos são descobertos ou

plantados? Envolvimentos nem sempre

ortodoxos são mais uma manobra ou

de fato acontecem? Fica cada vez

mais borrada a fronteira entre um e outro

A desculpa, o sem-querer, o sem intenção

continua valendo como escudo para

palavras rudes, insinuações maliciosas,

julgamentos preconceituosos e toda

uma série de agressões veladas

As batalhas sem sangue, sem lama,

sem trincheiras, sem farrapos, cedeu

definitivamente seu local para matanças

hight-tech, desempenhadas por drones

assépticos, sem adrenalina ou fedor de morte

E mesmo àqueles que num primeiro

olhar podem ser reconhecidos como

de bom comportamento podem, apenas

ser o espelho do que se gosta, do que

se entende por correto, da bolha nossa

Deste modo permanecem desiguais

as antigas desigualdades, permanecem

sem acesso os que nunca os tiveram,

permanecem longe do processo

civilizatório, seja lá o que isso signifique.

A intenção e o efeito, amantes

eternos, bailam diante de todos os

narizes, ficando a cada passo mais

complexo, mais refinado o minueto

que enfeitiça e adormece o pensamento

 

Qual é a jogada?

 

 

 

 

 

 

Competição, por quem vai torcer?

Competição com data marcada,

dia 28 as 9h30 e nada de recuar

Era o teste tão esperado e dava

até um nó comprido do pescoço

até dentro da barriga.

Havia nutrido a máquina com

zilhões de dados e informações

tentando reunir material suficiente,

para que conseguisse superar

os embates previstos

A equipe toda estava tensa,

havia tanto trabalho envolvido…

horas e horas, extras por fora,

lanches e pizzas, muito café,

balas; quilos a mais para todos

E o peso maior não era só

físico, tinha grana alta na

parada, apostas da direção

e uma divulgação que

chegou aos confins do Judas

Nunca se ouviu falar de

uma testagem deste tipo,

o que conferia ainda mais

brilho e terror à contenda.

Ah sim, havia oração e muita

Foi quando se deu conta,

quando caiu a ficha que de

fato estava torcendo pela

máquina neste enfrentamento

o que lhe pareceu engraçado.

Uma graça sem jeito

na contra-mão, enviesada,

de través… desejar pelo fracasso

do oponente, que era seu igual

e pela vitória da machine

Cavucou lá dentro de si

algum palpite infeliz, algum

caldo de ética que lhe apontasse

se estava correto seu desejo

ou se, na boa, era um descalabro

Só encontrou mais dúvidas

e era tudo o que não desejava.

Afinal ainda tinha ajustes.

Simulações por emular no

ambiente fora de produção

Qual espinha de peixe

atravessada, manteve a

dúvida na redoma da obsessão

silenciosa e partiu para

o trabalho, tampando a lente.

Subiu mais uns 200 artigos

papers importantes e renomados

para serem absorvidos em fração

milionésima do log neperiano

com tudo arriado na memória ram

Verificou a segurança, padrões

requisitos e processos, checou demais

condições e a espinha?foi se abaulando,

criando uma curva funda que fazia

com que fosse descendo…descendo…

Chegaria em breve o grande

momento em que toda a equipe

roeria as unhas por muitos instantes

até se atingir o resultado tão

esperado… que era mesmo qual?